A Maternidade e o encontro com a própria sombra.

Como quase todas as tentantes, eu leio muito. E, nas minhas leituras, comecei a pesquisar sobre livros ligados à gestação e a maternidade, mas que fugissem do clichê o-que-esperar-quanto-se-está-esperando. Não demorou muito pra que eu encontrasse diversas indicações para o A Maternidade e o encontro com a própria sombra, da Laura Gutman. Li várias resenhas, alguns trechos e primeiro fiquei oscilando com medo de ler e, a viagem ao desconhecido ser tão profunda a ponto de me assustar. Segundo, como já mencionei antes, estou numa fase pão dura – a real, gente, é que comprar uma casa é um troço muito caro! Se vc resolve comprar a casa no mesmo ano que comprou seu primeiro carro, e ainda quis o carro zero, jesus, a sensação de vou-falir é enorme! mas, voltando – e só encontrava o livro + frete por valores entre R$40 e 55 reais.

Eu sou uma leitora voraz. Entre meus sonhos está o de ter um dia minha própria mini-biblioteca. Atualmente, sem ler, eu tenho 26 livros novos, e há cerca de um ano, prometi que só compraria livros novamente quando eu terminasse esses. Em todo caso, sempre vigio promoções, sebos e me recuso a pagar mais de R$40 em um livro – é só garimpar que acha por menos! Por essas e outras fui enrolando e não comprei.

Até que essa semana, por acaso, encontrei ele com o preço ~24,00! Em duas lojas online, Ponto Frio e Casas Bahia. O Ponto Frio saiu ganhando com menos de 3 reais de frete! Pensei, repensei, e apesar de estar apertada, fiquei com muita dó de deixar passar. Comprei! E rapidinho o livro chegou! AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH o cheiro de livro novo! ♥

 

maternidade laura gutman

 

Comecei a leitura, meio exitante, acho que se estivesse prenha eu sentiria tudo com mais…veracidade. Mas o que temos pra hoje é ser tentante, então vou ler assim mesmo. Pra começo de história posso dizer que é uma leitura intensa! Quem estiver afim do livro, corre! Ainda tá com o preço bom em alguns lugares!

 

Eu fui sim ao GO e volto pra contar como foi ainda essa semana, obrigada pelo apoio e opiniões de vocês! Estou no 29DC do 2 Ciclo e, eu sei, eu sinto (daquela forma que as grávidas não sabem explicar como souberam que estavam grávidas) que não foi nesse ciclo tb, então só me resta torcer pra esse ciclo terminar no 33DC como no anterior pra eu começar a me organizar comigo mesma e estabelecer um ‘regular’, por enquanto.

 

Bjos!

D.

Anúncios

2o Ciclo e o dobro de dúvidas!

Hoje seria dia de blogagem coletiva e, cheguei a escrever o post e não publiquei. Adoro a ideia e os posts, mas estou um pouco atrapalhada. Tenho tido pouco tempo pra postar e ler outros blogs e, pra algumas tentantes com um tempinho de estrada ou gestantes com bebês encomendados, é muito bom poder desfocar um pouco e conversar sobre outras coisas, mas estou num momento um pouco…introspectivo sobre o assunto. Estou, agora, muito voltada pra mim e meu corpo. E tenho vontade de falar sobre isso, escrever sobre isso, mesmo que não seja interessante pra ninguém, o blog é onde eu posso desabafar.

 

Hoje é o 19DC do 2 Ciclo. Permaneço absolutamente perdida sem ter ideia do tamanho do meu ciclo exatamente, se estou ovulando…sigo medindo TB, mas acho o gráfico completamente bagunçado por enquanto, e esse ciclo que estou indo desde o começo…viajei sem o termômetro. NÉ, GENTE, não tava afins de ficar acordando com o despertador pra tirar TB no meio da viagem, hahahaha. Já tava fora do meu ambiente mesmo, romance total com o noivo, muuuuito treino namoro, horários diferentes…logo, foram 4 dias sem TB = gráfico bagunçado. Continuo bebendo muita água, mas não vejo muco. Pro próximo ciclo vou ter testes de ovulação pra ver se me ajuda a me situar.

 

Não há nenhum mal estar da ausência da pílula mais, essa semana é só que depois que voltei de viagem minha pele ficou MUITO oleosa. Eu pareço uma frigideira. Acho que só não surgiram mil espinhas ainda por causa da quantidade de água que estou tomando. Estou inchada, fisicamente estranha tocando o foda-se e namorando demais.

Tenho um GO marcado para dia 22. A ideia era tirar dúvidas sobre ser tentante e, principalmente, verificar a questão da SOP com certeza, se tenho ou não. Tomava remédio há tempo demais. Não sei quando e como saber, não quero perder meses pra descobrir, ao mesmo tempo não sei se é muito cedo e, sinceramente! estou me sentindo tímida em ir ver o médico com só 2 ciclos de tentativas. Corre o risco de eu desmarcar essa consulta e isso me deixa chateada! Ao mesmo tempo acho que devia ir, está marcado, o plano cobre, se eu gostar do médico já fico como paciente pro pré natal… Confusa! =/

 

Tirando essa ansiedade e as dúvidas, estou ótima. Fase ótima, a viagem foi ótima, casamento marcado, data comunicada às famílias, muito amor, muito romance. Namoramos muito, caminhamos muito a beira mar, conversamos sobre o bebê (vem, bebê!)…e as pessoas tem brincado e comentado sobre o assunto e é muito gostoso pensar nessa expectativa não só nossa, mas de várias pessoas, em termos um filho! (vamos curtir enquanto não sinto que é pressão hahahah). Feliz!

BC Papeando Com Azamigas: Ser tentante é…

  • Usar mais de um app pra checar os dias fertéis e duvidar de ambos.
  • Ficar em dúvida se a libido mega alta é coisa aleatória ou inconscientemente no desejo de engravidar (olha. o grau. da dúvida).
  • Dormir com um termômetro debaixo do travesseiro.
  • Comprar roupas que tenham elásticos na cintura e já ficar se imaginando com o barrigão.
  • Pensar quanto tempo esse barrigão vai demorar pra aparecer (deixa eu checar esse app de novo…).
  • Ler mil fóruns e blogs e textos e debates sobre tentativas e conquistas.
  • Marcar GO só pra tirar dúvidas e ficar sofrendo com 1488 grávidas na salinha enquanto só você permanece…magra. Lisa. Sem barrigão. Sementinha nenhuma. Nem o benefício da dúvida, às vezes. E prioridade no atendimento tb não, hahahaha.
  • Comprar coisinhas escondida e guardar pro futuro bebê.
  • Ter mil amigas ‘desconhecidas’ pra falar sobre o assunto, pq o futuro pai abortaria a missão se desconfiasse do tamanho da paranóia.
  • Pensar em como o pai, os avós, os tios e primos reagirão à notícia…se ficarão felizes, se irão paparicar, se vai ser só mais um bebê…

Eu quase pulo o BC dessa semana proposto pela Mama, dona do Mamma Dog, por motivos de: nossa, eu postei anteontem. Tenho muita coisa pra falar, mas não curto ir fazendo um post em cima do outro, achei que não ia ‘fluir’. Mas fluiu, tá aí! Tentante pensa em coisa pra caramba. Listar só 10 foi moleza.

e a ansiedade?

10DC do 2 Ciclo e eu já ouvi de uma amiga que nossa-você-já-está-ansiosa. Sim, minha gente, eu estou.

Tentante parece viver uma eterna expectativa. Como ainda não estou muito ciente do meu corpo, aprendendo, conhecendo, me sinto às cegas todo o tempo e isso me aflige. Minha maior ansiedade na demora em tentar é o medo de descobrir alguma doença, alguma disfunção, algum…enfim, algum problema, que o ac pode ter mascarado todos esses anos. Frequentar diversas rodas de tentantes deixa a gente um pouco impressionada demais negativamente pra algumas coisas, sem observar, por exemplo, a quantidade gigante de mulheres que engravidam naturalmente todos os dias quando menos se espera.

Aí enquanto eu pensava isso e outras coisas, comecei a notar que tinha alguma coisa errada pq o Ovoview marcava meu PF em uns dias e o FF em outros. Hoje sentei, fucei e descobri que…meu FF estava com dados inseridos pela metade em ciclos anteriores, quando eu ainda tomava ac. Que beleza, não é mesmo? Quando apaguei tudo, ajustei tudo, deixei só os dados atuais, a data do PF alterou. SÓ QUE: D e eu viajamos juntos em lua-de-mel-do-noivado do 13DC ao 16DC. E ambos os apps alteraram meu PF pra entre 17DC e 20DC.

Claro que não é exato, é o primeiro ciclo completo medindo TB e observando muco, então não sei exatamente quando posso ovular, se estou ovulando normalmente, e outros detalhes, muito menos o aplicativo sabe…mas né, eike balde de água fria. Aí esqueci todas as outras coisas que eu tinha pra escrever aqui.

Mas vamos em frente, namorar muito e se curtir na viagem que é o que tem pra agora. E eu estou precisandoooooo sair daqui, ver o mar, tomar sol, ficar de boa…(mas se alguém quiser deixar uma dica de como lidar com a ansiedade, agradeço!)

 

 

ps.: depois que terminei de escrever, fui direto no blog da Tami, que está linda, linda, gerando Helena, e que me contou certa vez que engravidou num ciclo em que só namorou uma vez no PF inteiro. bom ler essas histórias! ♥

BC Papeando Com Azamigas: Aleitamento.

O tema proposta pra BC dessa semana, pela Cynthia Barreto, é Aleitamento. OU SEJA. Hahahaha. Tem horas que pra mim a BC soa quase impossível pq eu me sinto cuspindo pro alto (com risco de cair na testa): falo sobre coisas que ainda não vivenciei e não sei como vai ser. O tema de hoje é assim.

Nessa vida de tentante a gente acaba lendo de tudo um pouco. Já li muito sobre o aleitamento e, claro, óbvio, assim como fui uma bebê que mamou exclusivamente no peito até o 5º mês (daí me deram uma mamadeira de suco de laranja e eu nunca mais quis saber de tetas na minha vida, fim), claro que eu pretendoquerovou-amamentar. Aí é que entra o cuspir pro alto: minhas pretensões não quer dizer que as coisas vão sair exatamente como eu acho que vão.

Na minha cabecinha, vou amamentar (um dia, sabe lá Deus quando…) em livre demanda – não entra muito na minha cabeça um bebê recém nascido ter as mamadas controladas pelo relógio e não pela vontade. Faço questãaaaaao de viver esse elo de amor, esse momento de alimentar minha cria. Em exclusivo? Sim, se eu for capaz. Se não, complemento. Até quando: outra incógnita. A menos que algo mude na vida, vou ser uma mãe que volta da licença maternidade ao trabalho e, não se sabe como o corpo – e o bebê – vão reagir à ordenha sem lugar adequado pra ser feito, sem lugar adequado pra acondicionar o leite, com bebê sendo alimentado por outras pessoas…tem quem consiga manter bastante tempo mesmo nessas condições, eu espero que sim, mas isso é impossível prever.

Sobre amamentar em público e os Mamaço’s: acho uma causa nobre e admiro quem luta e protesta e briga pelo que quer que seja que acredita. Acho que aqui, entra muito da minha criação, dos hábitos familiares, etc. Não houve, até hoje, ninguém na minha família que amamentasse em público. E nem quem negasse o peito. Mas sempre tem um paninho jogado no ombro, uma fraldinha sobre o bebê (coisa curiosa: na minha família, criança sempre tem uma fralda por perto. Meu enteado nunca tem, e eu fico doidinha com isso, não entendo) e o seio…hábitos, pudor? não sei. Sei que hoje hoje hoje, sou uma pessoa que não consegue se imaginar fazendo diferente disso. Acredito que eu não me sentiria a vontade, me sentiria exposta, mas não condeno de forma alguma quem não se incomoda – pode amamentar perto de mim e onde quiser, acho que isso é algo muito pessoal e não deveria ser motivo de discussão nem represália em lugar nenhum.

Tenho um receio muito grande pq me apego muito à histórias que ‘não deram certo’. Não tinha pega, não tinha bico, não tinha leite, jesus, me apavoro. Já li sobre as conchas e outros métodos pra auxiliar a preparar o bico (preparem uma pedra pra jogar em mim: sou apaixonada pelos meus seios, acho lindos, talvez seja minha parte preferida do corpo, e pra ser honesta eu sofro um pouquinho de pensar na mudança que eles vão sofrer, mas nunca jamais deixaria de amamentar por isso, tá no pacote e tudo vai mudar mesmo) e já sei de dois lugares na cidade (um particular e um público) que oferecem serviços de ‘orientação’ na amamentação. Vamos esperar pelo melhor, mas se a futura mãe aqui se atrapalhar, vale tudo pra fazer valer esse momento da melhor forma possível pra minha cria 😉

E esse post me lembrou uma historinha: tenho uma cunhada que é uma mulher incrível. Pariu de parto normal com a tranquilidade de quem [insiraalgosimplesaqui]. Pegou toda a equipe do hospital de surpresa, tão rápido foi o trabalho de parto. Não sentiu dor. Com a bebê coroando, andou pelo hospital pedindo ajuda que a bebê tava nascendo e alguém precisava amparar. Meu irmão tinha ido em casa pegar a mala da bebê e, perdeu. Minha mãe ligou enganada pra ela 15 minutos depois e minha afilhada berrava a plenos pulmões, enquanto minha cunhada tranquila dizia ‘acabou de nascer, vó, eu tou sozinha, pede pro pai dela voltar que eu preciso de roupa?’. E, umas semanas depois, minha sobrinha, linda, fofa, gostosa, mamando em livre demanda…desnutriu e quase morreu. Pq o leite não tinha nutrientes suficientes pra ela. Minha cunhada, mãe de duas outras meninas que nunca passaram por isso, nem sonhava. Foi um susto! Ela chorou, chorou…do leite não ser suficiente, da menina ter perdido tanto peso mesmo ela amamentando tanto, nervosa de pensar nos gastos…mas, numa ocasião dessas, faz-se o que? Bate o pé e deixa passar fome? Tem dó. Entramos com o complemento e, com 4 meses, ela estava gordinha e rechonchuda. A mãe voltou a trabalhar e ela foi pra creche (que dó). Mamava no peito quando chegava em casa e, de dia na creche, o jeito era mamadeira. Ela é linda, saudável, fofa e forte. Fim.

image

Nós, D & D, ainda do noivado: obrigada pelos votos de felicidade de todas vocês!

Update: opa, passei pro Ciclo 2: 6DC e muuuuita preguiça de ficar preocupada hahaha