meu corpo, esse desconhecido.

O Desejo de bebê andou recebendo visitinhas, êeeee o/ q lindo, q alegria. Em tempos de FB, já tinha esquecido como isso é gostoso. Só tenho a agradecer a acolhida carinhosa de vocês!

Hoje está um dia confuso,  tenho a sensação que tenho muitos posts que quero publicar, falar, sobre eu e minha vida mesmo, talvez pra me conhecerem, talvez só pra registrar, mas hoje uma coisa passou na frente. Acho que vai ficar tudo meio misturado, mas vamos lá….

Eu voltei pra dança do ventre. Há alguns anos, dancei por uns meses…depois de um tempo larguei por problemas relacionados à turma e porque comecei a segunda faculdade. Mas ficou aquela paixãozinha no peito. Agora uma colega convidou, incentivou, eu conversei com a professora antes, gostei muito dela e, voltei. Me senti tão bem! Lendo tanto sobre empoderamento, tanto no grupo do FB quanto nos blogs (tenho lidos muitos, mas não tenho conseguido comentar em todos), notei o quanto isso é importante, o quanto faz falta, e o quanto diversas coisas diferentes podem ser ligados a ele.

A dança do ventre é linda, e exige muito. Exige muito amor pelo corpo, pela própria sensualidade, pelo poder, pela força da suavidade dos movimentos, pelo gostar do que vê no espelho. E exige…confiança. (AQUI COMEÇA A CRISE). Tenho tido dificuldade com passos que requerem somente que eu confie e me entregue ao meu corpo….seja soltando o peso dele pra um ou outro lado, seja me empenhando mais nos movimentos. E em alguns momentos eu me sinto com um pavor absoluto de perder o equilíbrio, de cair, de não conseguir. Logo acendeu a luz vermelha da falta de confiança no próprio corpo (que, gente, isso existe em mim?! nem sabia!)

Ontem, durante uma dinâmica, escrevemos sobre nossos medos, falhas, pessimismo….e depois escrevemos sobre o lado positivo e o que ainda esperamos de bom pra esse ano. Quando menos vi, me peguei escrevendo: Sou fértil. E aqui acendeu uma luz com sirene e lembrei desse post da Nana. Repeti mil vezes em pensamento. Sou fértil. SOU FÉRTIL. EU SOU FÉRTIL.

Tomo ac desde os 18 anos. Nas poucas pausas que fiz, não havia nenhuma preocupação em saber ou conhecer melhor meu corpo, meus ciclos, ovulação, etc. E hoje quase enlouqueço em pensar o que pode acontecer quando o dia de parar o ac chegar. Como meu corpo vai reagir? Vai descontrolar tudo? Será que tenho algum problema? Sou saudável? Ovulo normalmente? EU SOU FÉRTIL? Há algum tempo pedi vários exames para o GO para saber.

D: Quero saber se posso ter filhos, se posso engravidar, se tá tudo normal lá dentro.

GO: Mas vc está tentando engravidar, quer engravidar por agora?

D: Não, mas eu quero saber. Pede tudo, pede todos, aproveita que eu tenho plano e pede, quero ver tudo.

 

O resultado é o que todos esperavam: aparentemente tudo normal, tudo no lugar. Mas tomando ac o corpo fica tão ‘sob controle’ que isso parece…’duvidável’ – outra GO, recentemente, me disse que não dá pra saber se tenho SOP tomando ac (então serviu pra que os exames?!). Parece que só vou conseguir saber quando parar e tiver meu organismo limpo e organizado e ver se ele funciona e como flui. E até lá?

Até lá eu sigo repetindo firme no pensamento: eu sou fértil. Eu sou fértil. Eu sou fértil. Eu vou conseguir fazer isso. Eu sou fértil. Eu sou perfeita. Meu corpo está ok. Eu não estou velha demais. Eu sou fértil. Eu sou fértil. Eu sou fértil.

 

IMG_20140321_115649871