Relato de Parto do Isaac.

Eu sumi por que a maternidade é uma loucura e mal consigo respirar? NÃAAAAO. Sumi pq meu notebook suicidou, há! Estou com um emprestado até comprar um novo e, agora vamos atualizar!

O relato da chegada do Isaac começa quando, com 37 semanas, agendei a cesárea para 39+4, no dia 31/08. Como já estava de licença, continuei organizando as últimas coisinhas, comendo, descansando e esperando o TP…que não veio. Mesmo tendo optado pela cesárea, meu plano e do GO era esperar ‘algum sinal’ do bebê: tp, ruptura de bolsa…mas nada aconteceu. Então no dia 31/08, um dia de sol quente e céu muito azul, às 9h, dei entrada no melhor hospital da cidade pra fazer minha internação, acompanhada de D, minha mãe e minha sogra.

Subi para o quarto, organizei roupa do Isaac, colocaram minhas pulseirinhas de identificação e fizeram um acesso. Poucos minutos antes das 10h vieram me buscar. Segui de maca pro centro cirúrgico acompanhada da minha comitiva. Lembro que subindo no elevador pensei que, ao invés de estar nervosa…putz, eu tava com muita fome.rs Me despedi da minha mãe e da minha sogra, e esperei alguns minutos no corredor enquanto o anestesista não chegava. Nesse tempo meu GO apareceu, um querido, alegre, sorridente e carinhoso como sempre, conversou comigo e então entrei pro centro cirúrgico.

Era uma sala comum equipada pra parto. O anestesista atrasou e, meu médico entrou pra conversar comigo, me contou como foram os últimos dias, o fds dele e o meu, contou como seria o parto mais uma vez e saiu enquanto as enfermeiras arrumavam os instrumentos. Quando o anestesista chegou, fiquei automaticamente nervosa. Ele era educardo mas firme, disse que eu precisava ajudá-lo a me ajudar ¬¬ Tive muito medo, de verdade. Os relatos que lia me deixavam tensa. Uma enfermeira me ajudou a manter a posição, sentada na maca com as pernas pra fora e senti a primeira agulhada, e depois mais uma. Não foi nada demais. Me deitaram e o Dr Anestesista avisou que eu ia sentir as pernas ficarem quentes…(como orientado pelo meu médico, pedi pra ele não me dar nenhum sedativo ou coisa do tipo, que eu não queria ficar grogue nem dormir depois do parto. Funcionou, porque eu só fui dormir por volta das 2h da manhã nesse dia).

Aí foi tudo muito rápido. Pediram autorização pra prender minhas mãos, o Dr GO entrou, a Dra Pediatra entrou e então ele me apresentou a todos, explicou que eu era hipertensa, e etc. Não era pra minha pressão passar de 14/9 e sempre tinha alguém de olho no monitor. Baixaram o campo cirúrgico e, em pouco tempo (pra mim eu ainda sentia minhas pernas!), meu marido apareceu sorridente ao meu lado, com uma roupa cirúrgica toda rosa. COMO ASSIM, GENTE, JÁ ME CORTARAM? Eu sentia mexerem em mim, mas não sentia dor nem agonia por isso. Eu estava muito tranquila.

Em alguns minutos o médico chamou D pra gravar ou fotografar, como quisesse…e ele se foi. O anestesista ficou conversando comigo o tempo todo e, num certo momento, me disse ‘ele já vai nascer’. A equipe conversava comigo e com D, demos risada, e de repente o Dr Anestesista disse ‘já nasceu, parabéns’. E eu pensei: mas ele não chorou? E então ele soltou o primeiro chorinho UÉEEEE…e parou. Foram dois segundos e então ele chorou, chorou…me arrepio de lembrar. Pelo vídeo vi depois que colocaram ele suavemente em cima de mim e, parece que ele demorou a entender que tinha saído da casinha!rs E então ele chorou, chorou…e eu chorei junto. Lembro que pensei ‘eu chorei a primeira vez que te vi chorar, filho’. Até hoje ele chora ‘uéeeee, uéeeeeee’, hahahaha lindo demais!

E então trouxeram ele pra mim. Olhei pro lado e só lembro que disse ‘Oi, filho!’, chorando muito! E em seguida soltei o que, até então, me preocupava ‘nossa, ele é muito miudinho mesmo!’. Encostaram ele em mim, no meu rosto, eu cheirei e beijei aquele pedacinho de gente molhado e quente…mas eu estava tão preocupada em vê-lo tão magrinho que não registrei nada sobre ele. Ele não era pequeno, era comprido e magrinho, então tinha ruguinhas de pele sobrando 😦 levaram ele embora e dali a pouco D voltou, sorrindo: “ele é a sua cara!”. Perguntei se ele estava bem e a Dra Pediatra voltou e disse ‘Mãe, seu filho é perfeito, muito saudável e muito viril (oi que), ele só não ganhou peso, mas aqui fora ele engorda! Fica tranquila! Parabéns!’. D me mostrou fotos dele e então eu registrei que ele tinha um bocão, hahahaha…então ele voltou pra acompanhar os primeiros cuidados enquanto fechavam meu corte.

Essa parte demorou muito. Isaac foi pro bercinho aquecido ali perto de mim mesmo,  mas eu não o via e ele parou de chorar – e eu queria que ele chorasse pra sentir a presença dele! D ia e voltava, conversava com Dr GO, e aos poucos eu fui sentindo todas aquelas coisas ruins do pós parto da cesárea que contam: comecei a coçar, a tremer. Meu acesso soltou e demoraram a ver, me molhei toda. E foi foi…até que avisaram que iam levar Isaac com o pai pro corredor pra irmos pro pós parto.

A sala do pós parto era privativa e ficou eu, D e Isaac. Uma enfermeira veio colocá-lo no peito e, muito timidamente, muito sonolento, ele pegou de levinho, mas soltou logo. Ficamos ali esperando a anestesia passar. Eu tremia muito de frio, uma coisa horrível, reclamei. Me trouxeram um cobertor, me enrolaram, o Dr GO trouxe (escondido) as avós pra ver Isaac, veio o almoço de D…e virou uma calmaria. D cochilou, e eu estava com muito sono, mas me recusava a dormir. Queria ver Isaac, pegar, cheirar, antes que mais gente fizesse isso antes de mim. Pedi pra me entregar ele e ele botou ele deitadinho no meu braço na cama, ainda com a roupinha do hospital. Dormia, meu menino. E eu fiquei ali namorando ele muito tempo…até meu braço doer.rs Colocaram ele pra mamar de novo e então minha anestesia passou – e junto com isso o tal frio que eu sentia.

Aproximadamente às 13h subimos pro nosso quarto. Isaac ia na maca em cima de mim e, nessa hora, minha mãe sumiu pelo hospital. D foi procurar ela e, nos desencontramos, acabei subindo pro quarto sozinha. Na porta do quarto pegaram ele pra dar banho e pronto, surtei, hahahahah. Qdo D apareceu saiu logo correndo com minha mãe para vê-lo tomar o primeiro banho, logo ali de frente no corredor, enquanto me arrumavam: sonda, fralda, regras sobre jejum e etc. Dali uns 20 min ele voltou, só de body e calça brancas, sem luvas ou touca pq estava muito calor, enrolado num cueiro azul e branco e com uma manta de linha azul céu.

E então, começamos, definitivamente, nossa vida juntos. Isaac foi incentivado a mamar, veio pra mamãe, pro papai, pra vovó, tirou fotos. Por volta das 16h pude sentar, comer, trocar de roupa pra um pijama meu e as visitas começaram a chegar.

A chegada de Isaac foi ótima, não tenho nenhuma lembrança que me incomode. Minha recuperação foi ótima. Essa história, o que mais aconteceu  nessa semana e minha opção pela cesárea eletiva, falo mais no próximo post!

Bjos!

🙂

Anúncios